Chuva volta a provocar alagamentos no Rio

Ajustar Comente Impressão

Entre às 23h50 do dia 19 e às 23h50 do dia 20, choveu no Alto da Boa Vista, bairro da Zona Norte da cidade, 244,6 mm. A mais relevante foi um deslizamento de barreira no Cosme Velho, na zona sul, que interditou parcialmente a Rua Cosme Velho, próximo à Estação de Trem do Corcovado.

A chuva diminuiu agora, no início da tarde, mas a previsão da meteorologia é de que pode chover nas próximas horas. Além da mobilização das equipes, o Centro de Operações da prefeitura intensificou o envio de comunicados para a população, com recomendações de segurança, informações em tempo real sobre os impactos e as condições do tempo.

Em visita ao Cosme Velho, onde houve o desabamento de um barranco, o prefeito avaliou que a cidade "passou no teste" das chuvas. E nós estamos tomando todas as providências Mobilizamos as equipes da prefeitura para atuar desde o início do temporal em várias regiões da cidade. "A previsão é que de tarde não tenha mais chuva".

Nesta terça (20), a capital fluminense registrou o maior volume de chuva para o mês de junho dos últimos 20 anos, o que provocou pontos de alagamento e interdições em vias. Uma retroescavadeira e caminhões da Comlurb foram acionados para liberar a rua.

Na zona sul, a Avenida Borges de Medeiros também registra bolsão d'água, na altura do Parque dos Patins. Somente no Jardim Botânico a chuva acumulada chegou a 130 milímetros, 60% a mais que o esperado para o mês. O nível do rio já abaixou e não há mais acúmulo de água no trecho. Há alagamentos na Avenidas das Américas, em ambos os sentidos, na altura do Shopping Barra World. Os altos índices pluviométricos, associados à ressaca e à maré alta, dificultaram o escoamento da água em vários bairros da cidade.

A Defesa Civil municipal acionou, nas últimas 12 horas, 20 sirenes em nove comunidades e registrou 56 ocorrências, 10 delas emergenciais.

Quedas de árvores também foram registradas após a chuva, nos bairros da Gávea, São Conrado, Copacabana e Tijuca. Doze sirenes do Sistema de Alerta e Alarme Comunitário da Prefeitura foram acionadas em sete comunidades do Rio: Borel e Formiga (Tijuca), Prazeres, Escondidinho e Vila Elza (Santa Teresa), Santa Alexandrina (Rio Comprido) e Guararapes (Cosme Velho).

O tempo no Rio permanece instável e, por volta das 10h, a chuva se concentrava principalmente na zona oeste da cidade, na altura do Recreio dos Bandeirantes.

Mesmo com a chuva intensa na cidade, os transportes - trens, metrô, barcas, BRT e VLT funcionam normalmente na manhã desta quarta-feira.

Na Rua das Acácias, na Gávea, um dos locais mais atingidos pelo temporal, ainda há bolsões d'água.

Comentários