EUA suspendem todas as importações de carne fresca do Brasil

Ajustar Comente Impressão

Foi a primeira vez que Mato Grosso inverteu o calendário de vacinação, que até o ano passado tinha como alvo todos os animais apenas na etapa de novembro da campanha nacional.

"Mais uma vez a indústria está herdando um problema que não criou", afirmou o presidente do conselho da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Antonio Camardelli.

A Secretaria informa também que, desde março, seu Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos inspeciona 100% de todos os produtos de carne que chegam do Brasil no país, e o órgão recusou 11% dos produtos de carne fresca.

"Esse resultado está substancialmente acima da taxa de rejeição de 1 por cento das entregas vindas do resto do mundo", revelou a nota.

Desde o aumento da inspeção, foi recusada a entrada de 106 lotes de produtos bovinos brasileiros, devido a problemas de saúde pública, condições sanitárias e problemas de saúde animal. O USDA ressaltou que nenhum dos lotes rejeitados entrou no mercado norte-americano. A decisão anunciada pelo USDA se sobrepõe à decisão do governo brasileiro. Os compradores dos Estados Unidos identificaram irregularidades provocadas pela reação à vacina da febre aftosa na carne enviada ao país. Em alguns casos, a vacina pode provocar manchas internas na carne.

"Garantir a segurança da oferta de alimentos de nossa nação é uma de nossas missões cruciais, e nos a levamos muito a sério", disse Perdue em comunicado. Embora o comércio internacional seja uma parte importante do que fazemos no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês), e o Brasil há muito tempo é um dos nossos parceiros, minha prioridade é proteger os consumidores americanos. "Isso foi o que fizemos, interrompendo a importação de carne fresca brasileira", disse o secretário de Agricultura dos EUA. "A iniciativa demonstra a responsabilidade do Brasil no que diz respeito à condução de suas exportações".

- Isso é um absurdo e é inconsequente. Isso se trata de reação a um componente da vacina contra a febre aftosa. Agora, além dos problemas internos, tem isso. O Brasil está perdendo o mercado americano por conta de uma falha de sistema. Mesmo assim, a preocupação é com a sinalização que os EUA dão a outros mercados importantes que o Brasil almejava entrar com esses produtos.

- O volume exportado de carne fresca aos EUA não é significativo. O Brasil começou a exportar carne fresca para os americanos no ano passado, depois de cerca de dez anos de negociações. Conforme informações emitidas pelo Mapa, por meio de nota à imprensa, o embarque de carne bovina in natura está suspenso para as unidades do Marfrig localizadas em Paranatinga (MT), São Gabriel (RS) e Promissão (SP).

Comentários