Guerrero desencanta e faz 3 em goleada do Flamengo sobre a Chapecoense

Ajustar Comente Impressão

Nesta quinta-feira (22), no Rio de Janeiro, o Flamengo goleou a Chapecoense por 5 a 1.

Guerrero, que ainda não havia marcado no Campeonato Brasileiro, foi o artilheiro do jogo com três gols.

Na próxima rodada, o Flamengo vai visitar o Bahia, na Fonte Nova. No mesmo dia, a Chapecoense recebe o Atlético-MG na Arena Condá, às 19h. Aos 13 minutos da etapa inicial, Apodí afastou a bola após cruzamento de Rodinei, mas o meia pegou a sobra e acertou lindo chute no ângulo de Jandrei. E o Mengão não demorou a ampliar: agora garçom, Diego encontrou Guerrero dentro da área e só restou ao peruano dar uma cavadinha e correr para o abraço: 2 a 0. E o segundo gol não demorou.

FLAMENGO: Thiago, Rodinei, Réver, Juan e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Gustavo Cuéllar, Diego e Everton; Vinícius Júnior e Paolo Guerrero.

Os quatro primeiros gols foram a tradução da técnica e da raça. Quem inaugurou o placar foi o Flamengo, com Diego, aos 14 minutos. Diego puxou contra-ataque e cruzou, a bola passou por toda a zaga da Chape e Guerrero tocou meio dividido com Douglas Grolli, mas a bola foi para o fundo das redes. Após uma jogada aérea que resultou em cabeçada de Arão no travessão, o peruano ganhou da zaga e sacudiu a galera: 3 a 1.

Aos dez minutos, a Chapecoense mostrou que ainda estava ligada na partida. Sem deixar a bola cair, Diego soltou a bomba da entrada da área. Aos 17 minutos, o técnico Zé Ricardo ainda promoveu a estreia do zagueiro Rhodolfo, recentemente apresentado como reforço, que entrou no lugar de Réver, que saiu machucado.

Mas não foi Guerrero o único responsável pela vitória rubro-negro. Após cobrança de lateral de Reinaldo, o goleiro Thiago se atrapalhou com a bola e Victor Ramos apareceu para diminuir e colocar fogo na partida na Ilha do Urubu.

O departamento jurídico deu o aval para a contratação e o Rubro-Negro ignorou a cláusula de exclusividade do Santos, que vendeu Geuvânio em janeiro de 2016 e quis se certificar em contrato que o atacante não retornasse para nenhum rival brasileiro enquanto tivesse vínculo com os chineses.

Depois desses dois gols, o Flamengo relaxou na partida, apesar de mais chances criadas, e acabou tomando um susto aos 10 minutos do segundo tempo, quando Victor Ramos aproveitou uma bobeada da defesa rubro-negra e empurrou para o gol. E, no final, o Flamengo só tocou a bola para delírio da sua torcida.

Comentários