Guerrilha colombiana ELN anuncia libertação de dois jornalistas holandeses

Ajustar Comente Impressão

O ELN libertou na manhã de sábado os dois jornalistas holandeses sequestrados no nordeste da Colômbia, anunciaram, pelo seu lado, os serviços do Provedor de Justiça do povo colombiano.

O Exército de Libertação Nacional (ELN), o último grupo de guerrilha em atividade na Colômbia, anunciou hoje a libertação de dois jornalistas holandeses que sequestrara na segunda-feira. "O erro é de RANPAL, como meio que não confirmou a notícia por canais internos", lamentou o grupo reiterando que os sequestrados "estão em perfeitas condições".

O governador do Norte de Santander, William Villamizar, informou na quinta-feira que uma comissão humanitária fazia a gestão da libertação na zona de El Tarra.

Ambos trabalham para o Spoorloos, um programa da estação televisiva Kro-Ncrv regularmente apresentado por Derk Bolt, que tenta ajudar holandeses a encontrar os seus pais biológicos em todo o mundo.

Na mesma região, a jornalista colombiana Salud Hernández foi sequestrada em maio do ano passado. O governo, porém, insiste que para adotar a medida a guerrilha deve acabar com as ações hostis contra a população civil, como sequestro, extorsões, recrutamento de menores de idade e ataques a oleodutos.

O conflito armado colombiano, de mais de meio século, com guerrilheiros, paramilitares e agentes do Estado, deixou pelo menos 260.000 mortos, 60.000 desaparecidos e 7,1 milhões de deslocados.

Com o diálogo com o ELN, realizados em meio à conflagração, o governo de Santos busca a "paz completa" após a assinatura em novembro de um acordo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Comentários