Pelo menos 141 desaparecidos em deslizamento de terra na China

Ajustar Comente Impressão

O deslizamento de terras bloqueou uma estrada ao longo de uma extensão de 1,6 quilómetros e espalharam-se ao longo de dois quilómetros de um rio que passa naquele local.

A agência estatal "Xinhua" divulgou inicialmente que haviam 141 pessoas soterradas, mas o número foi reduzido em seguida.

Imagens divulgadas pela emissora de televisão oficial CCTV mostram diversos soldados levantando pesadas pedras e várias retroescavadeiras trabalhando na região onde estavam as pessoas que ficaram soterradas. Um casal e um bebé terão sido já resgatados e transportados para o hospital, segundo a agência de notícias AFP.

Segundo a Rádio Nacional da China, as equipas de resgate detetaram sinais de vida, incluindo a voz de uma mulher.

Esta é uma época em que chuvas torrenciais são frequentes, sendo comum a ocorrência de cheias e, na sequência deslizamentos de terra. As operações de resgate devem ser complicadas, já que a chuva não deve parar nas próximas horas, de acordo com a meteorologia.

O deslizamento aconteceu no vilarejo de Ximo, ao pé de uma colina, na província de Sichuan, às 6H00 locais (19H00 de Brasília, sexta-feira), sepultando ao menos 46 casas, informou o canal estatal CCTV.

Segundo a Xinhua, "parte da montanha" tibetana na prefeitura de Aba desabou.

O capitão afirmou que as chuvas dos últimos dias provocaram o deslizamento em parte da montanha.

"Estamos em uma zona sísmica, não há muita vegetação", explicou Chen.

Segundo informou o governo local, o deslizamento ocorreu devido às intensas chuvas na região.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários