Mercado financeiro reduz projeção de crescimento da economia para 0,39%

Ajustar Comente Impressão

O mercado financeiro reduziu a projeção para o crescimento da economia, este ano, pela terceira vez seguida. A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2017 caiu de 0,40% para 0,39%. Para 2018, o mercado também mudou, para pior, a previsão de expansão do PIB, de 2,20% para 2,10%.

As informações constam do boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central.

A projeção para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu pela quarta vez seguida, ao passar de 3,64% para 3,48%, este ano. Para 2018, a estimativa caiu de 4,33% para 4,30% no terceiro ajuste consecutivo.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas hoje no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018.

Para as instituições financeiras, a projeção é que a taxa Selic encerrará este ano e 2018 em 8,5% ao ano. Atualmente, a Selic está em 10,25% ao ano. No documento, o BC reiterou que o ritmo de cortes da Selic dependerá da atividade econômica, dos riscos para o cenário de inflação, das reavaliações sobre o ciclo e das expectativas para o IPCA. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou na sexta-feira (23) que o IPCA-15 - considerado uma espécie de prévia para a inflação oficial - subiu 0,16% em junho, acumulando taxa de 1,62% em 2017 e de 3,52% em 12 meses. Há um mês, estava em 3,95%. Para 2018, a projeção seguiu em 4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,51% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).

O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central, mostrou que a projeção para a cotação da moeda americana no fim de 2017 passou de R$ 3,30 para R$ 3,32. Há um mês, estava em R$ 3,25. O dólar futuro para julho caía 0,88%, aos R$ 3,3185. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano permaneceu em R$ 3,38, ante R$ 3,33 de quatro semanas atrás. Para o ano seguinte, a expectativa ficou em 2,30%. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano permaneceu em R$ 3,38, ante R$ 3,33 de quatro semanas atrás.

Comentários