Saiba mais: Um terço do mundo não tem água potável em casa

Ajustar Comente Impressão

Cerca de 4,5 bilhões de pessoas no mundo – bem mais da metade da população global atual de 7,6 bilhões de habitantes - não têm acesso a saneamento básico seguro, segundo relatório recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

O documento das Nações Unidas indica ainda que o número de pessoas sem acesso à água potável em casa é de 2,1 bilhões em todo o mundo. De acordo com o novo relatório, o acesso à água e ao sabão para a lavagem das mãos varia imensamente nos 70 países com dados disponíveis - de 15% da população na África subsaariana a 76% no oeste da Ásia Ocidental e na África do Norte.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que água potável encanada, saneamento e higiene não deveriam ser privilégios apenas daqueles que vivem em centros urbanos e em áreas ricas. "Esses são alguns dos requisitos mais básicos para a saúde humana e todos os países têm a responsabilidade de garantir que todos possam acessá-los". Isso inclui 600 milhões de pessoas que compartilham um banheiro ou latrina com outras famílias e 892 milhões de pessoas - principalmente em áreas rurais - que defecam ao ar livre.

Bilhões de pessoas tiveram acesso a serviços básicos de água e saneamento desde 2000, mas esses serviços não fornecem necessariamente água potável e saneamento seguro.

Tal permitirá uma redução importante nas taxas de mortalidade materna e de crianças até aos cinco anos.

Como resultado, todos os anos 361 mil crianças com menos de 5 anos morrem devido a diarreia.

O mau saneamento e a água contaminada também estão ligados à transmissão de doenças como cólera, disenteria, hepatite A e febre tifoide. "À medida que melhoramos esses serviços nas comunidades mais desfavorecidas e para as crianças mais desfavorecidas, estamos oferecendo-lhes uma oportunidade mais justa para que desfrutem de um amanhã melhor".

263 milhões de pessoas com serviços limitados, ou uma fonte de água melhorada que requer mais de 30 minutos para coletar água e 423 milhões de pessoas que tomaram água de poços e nascentes desprotegidos e 159 milhões de pessoas coletando água superficial não tratada de lagos, rios e córregos.

Em 90 países, o avanço na área de saneamento básico é muito lento, levando a crer que a cobertura universal não será alcançada até 2030.

O relatório indica ainda que, em países que passam por conflitos, as crianças têm quatro vezes menos chance de usar serviços de abastecimento de água, e duas vezes menos acesso a saneamento básico que crianças em outros países.

Os serviços de água potável, saneamento básico e higiene são essenciais para que o mundo alcance o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 3, sobre assegurar vidas saudáveis e a promoção do bem-estar em todos as faixas etárias.

Comentários