Dois helicópteros reforçam combate a incêndio em Alijó

Ajustar Comente Impressão

Segundo a página na Internet da Proteção Civil, há hoje de manhã um total de 41 fogos ativos - que mobilizam 512 bombeiros e 165 veículos - dos quais 29 estão em curso, quatro em resolução e oito em conclusão.

Devido a essa tragédia, foi detetado que o SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), tinha falhado, comprometendo a comunicação tão essencial nestas situações.

As pessoas que foram retiradas são idosos ou pessoas com deficiência, não tendo sido evacuada nenhuma localidade "por inteiro", por o incêndio não apresentar ainda perigo para tal, disse à agência Lusa o comandante dos Bombeiros de Alijó, José Carlos Rebelo.

"Quando se estabelece um plano de comunicações num teatro de operações, nunca é feito com exclusividade à rede SIRESP", integrando-se também a ROB, esclareceu.

Carlos Magalhães disse ao jornal Público que o sistema SIRESP entrou em modo local, o que dificultou as comunicações no terreno.

O alerta para as chamas foi dado às 01:55 de hoje e o fogo chegou a avançar em três frentes.

Entretanto, no combate às chamas proliferadas pela queda da aeronave, dois bombeiros ficaram feridos. Foi enviada uma estação móvel para o local.

O aparelho Ecureueil AS350B3 estava a despistar uma anomalia no funcionamento do balde com que recolhe a água para combater os incêndios quando teve um problema.

De acordo com o Comando Operacional de Operações de Socorro (CDOS) de Vila Real, no distrito de Vila Real há apenas este incêndio ativo. O piloto desligou os circuitos elétricos e a alimentação de combustível.

Em comunicado, o Conselho de Administração da Everjets informa que "já decidiu instaurar um inquérito às circunstâncias do acidente e garante a substituição do aparelho ora acidentado no dispositivo em alerta", no combate aos incêndios.

Comentários