Festival arranca hoje com Bastille em destaque — Marés Vivas

Ajustar Comente Impressão

Tendo começado no final dos anos 1990, o festival, que este ano decorre entre 14 e 16 de Julho, como de costume em simultâneo com o lisboeta Super Bock Super Rock, foi-se evidenciando por apontar para um público heterogéneo, de várias idades e diferentes gostos musicais - não surpreendendo, por isso, que Elton John, Dengaz, Rui Veloso e Kodaline convivessem no mesmo cartaz (como aconteceu no ano passado) ou que a seminal banda de indie-rock Yo La Tengo por ali tenha passado, em 2001.

A 15.ª edição do festival Marés Vivas chega hoje ao fim, depois de terem passado pela Praia do Cabedelo, na sexta-feira e no sábado, nomes como Scorpions, Lukas Graham, Agir, Bastille e Tom Chaplin.

O Festival Marés Vivas, na Praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia, termina este domingo com os concertos do britânico Sting e do brasileiro Seu Jorge, que tem apresentado em palco o seu tributo a David Bowie.

"I Can't Stop Thinking About You", "Petrol Head" ou "50,000" são os singles do novo trabalho do ex-vocalista dos The Police, que sobe hoje ao palco do Marés Vivas às 23:00.

A música portuguesa, como habitual, estará em destaque: é assim desde a primeira edição, em 1999, quando Rui Veloso, Blind Zero, Clã, ou Da Weasel marcaram o início do festival.

O lote de artistas que sobe ao palco principal fica completo com os portugueses Diogo Piçarra, que irá interpretar as músicas que têm marcado o seu percurso como "Tu e Eu", "Dialeto" ou "Entre as Estrelas" e Agir, este último com a responsabilidade de encerrar a noite. Miguel Araújo apresenta-se às 21h30 e Seu Jorge à 01h00.

Tanto os bilhetes diários (€35) como os passes gerais (€60 a €150) já se encontram esgotados.

Comentários