Torcida organizada protesta contra Palmeiras, pede "menos balada" e exige Libertadores

Ajustar Comente Impressão

O que uma goleada não faz no futebol?

No campo, o Palmeiras volta a campo neste domingo (16), contra o Vitória, às 11h, no Allianz Parque. Mesmo assim os integrantes da organizada montaram, na rua em frente ao CT, uma bancada, painel e uma decoração para imitar o ambiente de uma sala de entrevistas coletivas. Imediatamente, o treinador interrompeu a pergunta e mostrou esperanças em brigar pelo bicampeonato nacional.

"Ninguém jogou a toalha no Brasileirão, mas é indiscutível que a gente vá lutar pelo título da Libertadores". É difícil um time se manter no mesmo nível por 38 rodadas. "A gente precisa buscar esse equilíbrio para estar bem no Brasileiro e nos mata-matas", completou o treinador. A intenção foi cobrar mais vontade e profissionalismo dos atletas, além de exigir o título na Copa Libertadores. Mas isso pode ser até melhor, talvez os reservas joguem ainda melhor. A gente tenta ficar entre os quatro primeiros para ter vaga na Libertadores assegurada. Satisfeito com a apresentação deste fim de semana, o técnico Cuca elogiou a postura do time diante dos baianos e valorizou mais um triunfo pela competição. Mas se tomamos o gol é para vermos alguma coisa. "Em primeiro lugar, temos que ter confiança em nós mesmos, depois fé, porque daqui a pouco as coisas que não estão dando certo virão a nosso favor", disse, antes de seguir destrinchando a partida.

"Quando você está em um time grande e tem três derrotas seguidas, uma delas em um clássico em casa, é claro que tem uma consequência". E ela vem num jogo de acerto de contas. O torcedor vem e, à medida que vai vendo, faz as cobranças. Mas ele viu um time aguerrido e com organização. O Vitória deu três chutes. A primeira bola que o Vitória teve, em um erro de passe nosso, fez um golaço de fora da área.

Comentários