Três fogos em curso e dois em resolução mobilizam 1.434 operacionais — Incêndios

Ajustar Comente Impressão

Em Coimbra, o fogo que teve início na tarde de sábado em Carvalhosas, junto à praia fluvial do Mondego, em Torres do Mondego, era combatido por 274 bombeiros, apoiados por 84 meios terrestres. O mesmo aconteceu com várias habitações na aldeia de Cabeça Gorda.

O Conselho Municipal de Proteção Civil de Ferreira do Zêzere, reunido pela 1h da madrugada deste domingo, 13 de agosto, decidiu que "dada a gravidade da situação dos incêndios no concelho" deve ser ativado, de imediato, o Plano Municipal de Proteção Civil, que ao nível das operações logísticas e da tomada de decisão, permite mais autonomia ao Município. "O fogo já entrou na localidade de Beco e está a ir em direção a Dornes".

Segundo Paulo Santos, registaram-se vários focos de incêndio durante a noite nos concelhos de Alvaiázere e de Pombal, sublinhando que, entre as 00:00 e as 08:00, foram contabilizados "55 focos de incêndio" no território nacional. Apesar de estar em fase de resolução (sem "perigo de propagação para além do perímetro já atingido"), continua a mobilizar o maior número de meios: estavam no terreno 412 operacionais e 137 viaturas, de acordo com os dados da Proteção Civil atualizados às 05:15.

O incêndio de Alvaiázere, que deflagrou no final da tarde de sexta-feira, "está dominado", disse à agência Lusa o comandante da ANPC, Paulo Santos, referindo que um carro de bombeiros da corporação local "tombou lateralmente" no combate às chamas, provocando ferimentos ligeiros em cinco bombeiros.

As câmaras de Coimbra e de Cantanhede mantêm ativados os respetivos planos municipais de Emergência de Proteção Civil acionados na sexta-feira.

Quase 600 militares e 116 viaturas estão no terreno a ajudar no combate aos incêndios, em missões de apoio à Protecção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e diversos municípios, anunciou o Exército.

Comentários