Enfermeiros. 87% de adesão à greve no turno da noite

Ajustar Comente Impressão

O dirigente do SEP garante que está sempre disponível para negociar, mas "não está disponível para continuar com retardamento de soluções dos problemas". Esta terça-feira, e no regresso às negociações, foram apresentadas propostas como a reposição do valor integral das "Horas de Qualidade/Penosas", a diferenciação remuneratória dos Enfermeiros Especialistas através da mudança de posição e o Acordo Colectivo de Trabalho de 35 horas semanais para Enfermeiros com contrato individual de trabalho.

O primeiro-ministro esteve na segunda-feira ao início da noite, em São Bento, reunido com o ministro da Saúde a preparar uma reunião que Adalberto Campos Fernandes terá hoje com o SEP.

O encontro com o ministro da Saúde, num dia marcado pela greve dos enfermeiros, levou mesmo António Costa a cancelar a presença numa ação de campanha com o presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos.

A adesão à greve dos enfermeiros foi de 87% no turno da noite, disse o sindicalista José de Azevedo, adiantando que espera que o número venha a subir neste terceiro dia de paralisação.

No que diz respeito a terça-feira, segundo dia de greve, José de Azevedo destacou que a adesão à paralisação foi de 87/88%.

"Tal como já havia dito na terça-feira, esta reunião ajuda as pessoas a perceber que se trata apenas de manobras de diversão", disse.

Segundo o sindicalista a adesão à greve, na ordem dos 90%, tem vindo a subir e em todo o país e Portalegre não é exceção.

A reunião aconteceu no segundo dia de greve, que decorrerá até sexta-feira, contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de atualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira.

Comentários