Ex-BBB Laércio é condenado a 12 anos por estupro de vulnerável

Ajustar Comente Impressão

Laércio de Moura, que já está preso desde maio de 2016, após acusação de estupro de vulnerável e por fornecer bebidas alcoólicas para uma jovem de 13 anos, agora foi condenado a 12 anos de prisão pelos crimes antigos e por armazenar material (foto e vídeo) contendo cena de sexo explícito e/ou pornográfica com criança e/ou adolescente.

A decisão, que foi tomada no fim de agosto e só foi divulgada apenas agora, foi tomada pela Vara de Infrações Penais contra Crianças, Adolescentes e Idosos do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba.

Ele está preso desde maio de 2016, após acusação de estupro de vulnerável e de fornecimento de bebidas alcoólicas para uma adolescente de 13 anos. Ele era investigado desde fevereiro do mesmo ano, quando a Promotoria de Justiça recebeu um pedido de providências a respeito da conduta do ex-BBB. Atualmente, com 17, ela confirmou o envolvimento com Laércio. A família dela não tinha conhecimento do que ocorria até o momento em que a polícia procurou a vítima. Em seu perfil no Facebook, Laércio também seguia páginas de armas, supremacia racial e a fanpage de uma participante do "MasterChef Júnior", de 12 anos, que sofreu com comentários de cunho sexual nas redes sociais em 2015. Na atração, a participante Ana Paula Renault protagonizou uma briga com Laércio após vê-lo fazendo gestos obscenos às mulheres da "casa mais vigiada do país", incluindo a vencedora da edição, Munik, de 19 anos.

De acordo com a vítima, ela conheceu o ex-BBB em uma festa, onde trocaram telefones e passaram a ter conversas íntimas. A fala, de acordo com a polícia, deu início à investigação, que foi solicitada pelo MP-PR.

Comentários