Mercedes-Benz EQA chega com autonomia — Salão de Frankfurt

Ajustar Comente Impressão

A Mercedes continua a preparar a sua forte ofensiva de produto entre os automóveis eléctricos, tendo mostrado o segundo protótipo e o primeiro que antecipa um automóvel de passageiros para o segmento C (o do Classe A).

Aposta nos elétricos da Mercerdes-Benz ganham continuidade com a apresentação do novo EQA. De acordo com Dieter Zesche, CEO da Daimler AG, a Mercedes lançará mais de 10 modelos totalmente eléctricos até 2022. Em apenas cinco segundos, consegue acelerar até aos 100 quilómetros por hora, com uma potência total de 272 cavalos. Tracção integral com distribuição de binário variável entre eixos, promove uma dinâmica de condução impressionante e segura.

A Autonomia do Mercedes EQA é cerca de 400 km. Pode ser carregado de diferentes formas, quer por indução quer através de wallbox, sendo que o carro é compatível com métodos de carregamento rápido. A bateria íons-lítio está localizada no chão do veículo, entre os dois eixos e tem uma capacidade superior a 60 kWh.

O Mercedes EQA é um exemplo de uma evolução natural da forma de design "Sensual Purity", caracterizada pela redução de linhas e arestas aguçadas.

O EQA tem a grande superfície negra no lugar onde costuma estar a grelha nos carros convencionais - e que nos eléctricos não faz falta nenhuma - sendo aproveitada para uma série de jogos luminosos, relacionados com os modos de condução seleccionados: se estiver em "Sport" ilumina-se uma espécie de asa azul; se o modo foi o "Sport Plus", aparecem as barras verticais (em vermelho) típicas da grelha Panamericana estreada no AMG GT R.

As luzes são constituídas por fibras de laser e não por LEDs. As luzes traseiras em forma de espiral realçam o conceito de mobilidade eléctrica ao evocar um visual relacionado com funcionamento de circuitos eléctricos.

Comentários