Merkel e Putin querem "solução diplomática" para questão da Coreia do Norte

Ajustar Comente Impressão

O teste com uma bomba de hidrogénio foi o mais potente levado a cabo pelo regime norte-coreano e suscitou a condenação da comunidade internacional, aumentando a tensão na região.

A explosão teve uma potência de 250 quilotoneladas, 16 vezes superior à da bomba lançada pelos Estados Unidos sobre a cidade japonesa de Hiroshima, em 1945, segundo as mais recentes estimativas divulgadas pelo portal especializado na Coreia do Norte, 38 North, com base na revisão em alta da magnitude do abalo gerado feita pela Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares.

A Coreia do Norte ameaçou no domingo os Estados Unidos com "o maior sofrimento e dor" se continuarem a insistir que as Nações Unidas endureçam as sanções contra Pyongyang.

"Vínhamos empurrando isso pelo caminho, e o caminho acabou", disse McMaster aos repórteres.

"Para aqueles. que têm comentado sobre uma falta de opção militar, há uma opção militar", disse, acrescentando que não será a escolha preferida do governo Trump. O embaixador norte-coreano Han Tae Song afirmou que seu país rejeita "categoricamente" a resolução da ONU.

"Então tendo dito isto, eu não tenho problema em transferir isto para o general (Jim) Mattis (secretário de Defesa) porque eu acho que ele possui diversas opções", acrescentou.

A chanceler alemã, Angela Merkel, mostrou-se ontem favorável a uma negociação direta com a Coreia do Norte sobre o programa nuclear daquele país, à semelhança do que aconteceu com o Irão.

Segundo a NHK, canal estatal japonês, o míssil foi lançado às 6h57 (22h57 em Lisboa) e passou a norte da ilha de Hokkaido, tendo caído no oceano Pacífico, a cerca de dois mil quilómetros a este do Japão.

O projétil viajou aproximadamente 3.700 quilômetros, de acordo com os militares da Coreia do Sul - longe o suficiente para atingir o território norte-americano de Guam, no Pacífico, que Pyongyang já ameaçou.

"O alcance deste teste foi significativo, já que a Coreia do Norte demonstrou que pode alcançar Guam com este míssil", disse a União de Cientistas Interessados em um comunicado.

Mas a nota também informa que a precisão do míssil, ainda em fase inicial de desenvolvimento, é baixa.

Comentários