PSP interrompeu velórios das vítimas de Legionella

Ajustar Comente Impressão

O corpo de uma das vítimas foi recolhido pela PSP quando estava a decorrer o velório em Campo de Ourique, por ordem do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, que tem a investigação a seu cargo.

Já de acordo com o "Correio da Manhã", a outra vítima, de 70 anos, estava a ser velada na igreja do Santo Condestável, em Campo de Ourique, quando apareceu a polícia. Foram interrompidas pela PSP, que cumpriu a ordem de recolha dos corpos para que sejam realizadas as autópsias.

No entanto o Ministério Público, através de um comunicado, já veio lamentar todo o sofrimento causado às famílias das vítimas, adiantando que não recebeu "qualquer declaração de óbito" das dois casos mortais do surto de legionela. O corpo foi levado para autópsia no Instituto de Medicina Legal. Foi desconfortável, mas teve de se cumprir. No entanto, na falta de "qualquer comunicação de óbito relacionada com esta matéria", foi necessário "recolher elementos que permitissem identificar as vítimas, bem como as circunstâncias que rodearam as mortes, designadamente o local onde ocorreram".

"Confirmo essa situação. O DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] de Lisboa ordenou a recolha do corpo para autopsia no Instituto de Medicina Legal", afirmou.

"Recebemos a ordem do Ministério Público hoje e tentámos resolver o mais rápido possível, dada a sensibilidade da situação".

As autoridades de saúde indicaram que o surto de legionella no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, entrou numa fase descendente, havendo indícios de que as medidas corretivas já estão a surtir efeito.

Comentários