Ellen Page acusa Brett Ratner de homofobia

Ajustar Comente Impressão

A atriz Ellen Page revelou que Brett Ratner a assediou durante as gravações de X-men: O Confronto Final em 2006.

Brett Ratner tinha sido recentemente acusado de assédio e abuso sexual por seis mulheres.

Você devia fodê-la para ela ver que é lésbica'. Na altura, tinha 18 anos. A produtora Warner Bros já anunciou que se iria afastar do realizador norte-americano de 48 anos, que produziu filmes como X-Men: O Confronto Final, Hora de Ponta, Dragão Vermelho ou The Revenant: O Renascido e ainda a série de televisão Prison Break.

Em resposta, Ratner contestou as acusações e disse que as alegações da antiga funcionária eram "deliberadamente falsas e maliciosas". Eu me senti violada quando isso aconteceu. "Eu olhei para os meus pés e não disse uma palavra", afirmou. Este homem, que me lançou no filme, começou nossos meses de filmagem em um evento de trabalho com esse assédio horrível e incontestável. Ele 'me deixou' sem consideração pelo meu bem-estar, um ato que todos reconhecemos como homofóbico. Page revela ainda que depois do sucedido, durante as filmagens, observou várias situações em que o realizador dizia "coisas degradantes às mulheres". Lembro-me de uma mulher caminhando pelo monitor enquanto fazia um comentário sobre sua "bichinha fofa". Na mensagem partilhada no Facebook, a actriz de 30 anos considera que cada um tem o direito de descobrir a sua orientação sexual de forma privada. O comentário de Ratner repetiu em minha mente muitas vezes ao longo dos anos, quando encontrei a homofobia e lidei com sentimentos de relutância e incerteza sobre a indústria e meu futuro nela. "Estou do teu lado", escreveu no Twitter a actriz Anna Paquin, em apoio a Ellen Page.

A intérprete de Juno ainda afirmou que se arrepende de ter participado de "Para Roma, com Amor", de Woody Allen.

Comentários