Terremoto deixa mortos na fronteira entre Irã e Iraque

Ajustar Comente Impressão

Na província de Sulaymaniyah, na região curda do Iraque, autoridades informaram que seis pessoas morreram e outras 150 ficaram feridas.

O quadro em Darbandikhan, a cerca de 70 quilômetros de Kalar, é o mais preocupante.

Por toda a província, os habitantes saíram para as ruas durante o sismo e foram registrados danos materiais, segundo um correspondente da AFP. "Eu estava jantando na mesa com meus filhos quando, de repente, senti o prédio dançar no ar", contou Majida Ameer, que então correu para fora do edifício com as crianças.

A República Islâmica da Rede de Notícias do Irã, citando o chefe de serviços médicos do país Pirhossein Koulivand, disse que pelo menos 61 pessoas morreram e 300 ficaram feridas no lado do Irã na fronteira. "Acabou a eletricidade em algumas aldeias e equipes de resgate foram despachadas para essas áreas", noticiou a emissora.

Segundo a televisão nacional, o terremoto deixou ao menos 200 feridos, e Nikkerdar alertou que o balanço poderia aumentar.

Segundo relatos iniciais, o tremor foi sentido na capital iraquiana, Bagdá, que fica a mais de 250 km ao sul de Halabja. Em 2003, um violento terremoto na região da cidade de Bam, no sudeste do país, deixou mais de 30 mil mortos. A imprensa, no entanto, fala em seis mortos na cidade.

O Serviço Geológico dos EUA informou que um terremoto de magnitude 5.8 atingiu a costa leste do Japão, a uma distância de 351 quilômetros ao leste de Sendai, em uma profundidade de 9,1 km, nesta segunda-feira (13), pelo horário local.

"Até agora não houve relato de vítimas", acrescentou a autoridade.

Comentários