Militar norte-coreano baleado na fuga para a Coreia do Sul

Ajustar Comente Impressão

"Na tarde hoje [no horário local da Coreia do Sul], um soldado da Coreia do Norte desertou de um posto de guarda do lado norte-coreano da zona desmilitarizada na direção do nosso lado e nossos militares o resgataram", disse um oficial militar do Estado-Maior Conjunto.

O episódio mais sangrento na história da passagem - estabelecida após o término da Guerra da Coreia, em 1953 - ocorreu em 1984, quando o estudante soviético Vasily Matuzok desertou à Coreia do Sul aproveitando uma visita turística realizada a Panmunjom durante uma estadia na Coreia do Norte.

Contudo, é raro para um soldado norte-coreano desertar através da vila de fronteira de Panmunjom e ser baleado por colegas. O soldado está agora a recuperar no hospital de ferimentos que não colocam em risco a sua vida, de acordo com a mesma fonte.

Um soldado norte-coreano foi atingido por balas de militares de seu país enquanto cruzava a fronteira com a Coreia do Sul, informa a agência de notícias Yonhap.

Cerca de 30 mil norte-coreanos desertaram para a Coreia do Sul desde o final da Guerra Coreana de 1950-1953, mas grande parte deles viajou através da China.

Um militar foi ferido na Área de segurança conjunta - zona desmilitarizada entre as duas Coreias - e, posteriormente, levado a um hospital sul-coreano para receber cuidados médicos. Acredita-se que mais de um milhão de minas estejam enterradas na zona. Desde o início do ano até agosto, 780 norte-coreanos fugiram para a Coreia do Sul - um número que representa uma descida de 13% face aos anos anteriores.

Comentários