PF faz busca e apreensão na sede da Caixa em Brasília

Ajustar Comente Impressão

Uma operação da Polícia Federal foi deflagrada nesta terça-feira (14) para combater desvio de recursos da Caixa Econômica Federal.

Parte dos valores era distribuída pela empresa de consultoria para os demais membros da organização criminosa. Aproximadamente 50 Policiais Federais cumprem 10 mandados judiciais de busca e apreensão na cidade de Brasília-DF. Segundo informações da PF, uma suposta organização criminosa está sendo investigada por desviar verbas por meio de irregularidades em contratos da área de Tecnologia da Informação (TI) junto à CEF. Os contratos sob investigação totalizam um valor de R$ 385 milhões.

A Caixa informou que forneceu informações e documentos antes da operação para contribuir com as investigações.

O grupo é formado por empregados da Caixa, empresários da área de TI e uma empresa de consultoria pertencente a um ex-funcionário da CEF.

A PF descobriu ainda que como forma de lavar o dinheiro proveniente do esquema e mascarar a evolução patrimonial, os empregados da CEF e o sócio administrador da empresa de consultoria celebravam contratos de compra e venda de imóveis.

Por meio de nota, a Caixa informou que não houve busca e apreensão em suas dependências em decorrência da operação Backbone. A operação foi batizada de Backbone, um termo do jargão da informática.

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção ativa, passiva e por integrar organização criminosa.

Todo o dinheiro gasto com a Microsoft empalidece frente a um contrato de R$ 518 milhões em três anos com a SAP, através do qual o banco decidiu consolidar 80 sistemas legados usando a aplicação da SAP para core banking.

Comentários