Sete pessoas são mortas em favela da Região Metropolitana do Rio

Ajustar Comente Impressão

A polícia diz que quatro dessas pessoas tinham passagem pela polícia, mas não disse ainda quem são elas.

O coronel informou que os sete já estavam mortos quando a Polícia Civil e o Exército entraram na comunidade. Segundo eles, as vítimas estavam em um baile funk quando homens chegaram em veículos da corporação, atirando e causando pânico e correria. No entanto, os corpos das vítimas foram encontrados a cerca de três quilômetros do local onde acontecia o baile. Os feridos a bala teriam dado entrada em várias unidades de saúde da região, incluindo o Hospital Estadual Alberto Torres.

De acordo com o delegado Marcus Amin, ao todo, 15 policiais da Core participaram da operação. A página também indicava a presença do exército e de três caveirões - blindados da Polícia Militar.

Os soldados foram ouvidos nesta segunda-feira numa apuração do Exército.

O delegado Marcos Amim, da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), disse que apreendeu os celulares das vítimas e que vai verificar as informações passadas por parentes de que duas delas seriam motoristas de aplicativo de transporte de passageiros.

O porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar, disse hoje (13) que o Exército não teve envolvimento com a morte de sete pessoas na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo, no último sábado (11). O policial, que trabalhava no 7º Batalhão, em São Gonçalo, levou um tiro no pescoço durante, em um confronto com traficantes.

Comentários