Soldados ocupam emissora estatal do Zimbábue, diz imprensa local

Ajustar Comente Impressão

O presidente Robert Mugabe e restante família "estão a salvo" e, online, os militares asseguram que estão a fazer uma "limpeza" às pessoas que o rodeiam, prendendo diversas figuras, como o ministro das Finanças.

O anúncio, feito às primeiras horas desta quarta-feira, tem lugar depois de uma noite de agitação na capital, com soldados armados e veículos militares nas ruas da capital e o registo de pelo menos três explosões. Ao "New York Times", o ministro da Informação, Simon Khaya Moyo, disse esta manhã numa curta entrevista telefónica que "não sabe" se está em curso um golpe militar.

Durante a madrugada, alguns militares bloquearam os acessos aos edifícios principais do e apoderaram-se da televisão.

A detenção acontece um dia depois de as Forças Armadas do país terem avisado que estavam preparadas para acabar com o que consideram ser uma "purga" contra apoiantes do ex-vice-presidente, Emmerson Mnangagwa.

O partido do presidente Mugabe, a União Nacional Africana do Zimbábue - Frente Patriótica (ZANU-PF), acusou ontem o chefe do Exército de "conduta de traição" destinado a "incitar a insurreição", depois de ter avisado na última segunda-feira que as "medidas corretivas" seriam tomadas se os "expurgos" de veteranos oficiais continuarem.

No entretanto, o antigo vice-presidente do país, Emerson Mnangagwa, que tinha sido afastado por Mugabe, voltou ao Zimbabué, sendo esperado que assuma a presidência interina. De resto, já em dezembro vai realizar-se o congresso do Zanu-PF onde será escolhido o próximo vice-presidente e tudo indica que seja Grace, de 52 anos, a ocupar a vaga deixada. Ele era o provável sucessor de Mugabe e tem o apoio dos militares.

Após este afastamento, é precisamente Grace que surge em posição privilegiada para liderar os destinos do país. Contudo, está longe de ser uma figura popular e é até conhecida como "Gucci Grace", devido aos seus gastos avultados em lojas de luxo no estrangeiro.

"Há muito ressentimento contra (o Presidente) Robert Mugabe e a sua esposa (Grace)", sublinhou o político da oposição, que pediu aos cidadãos que "tenham cuidado", já que a "situação é anormal". Joice Mujuru foi demitida em 2014, também por alegadamente conspirar contra o presidente dentro do partido.

Comentários