Nicolás Maduro anunciou a criação de uma nova moeda virtual, o petro

Ajustar Comente Impressão

No contexto da crise econômica em curso e da queda da moeda nacional da Venezuela, o presidente Nicholas Maduro anunciou a criação da moeda criptográfica El Petro, respaldada pelas reservas de commodities do país, incluindo o petróleo. No entanto, o uso deste tipo de recurso para transações já é usual na Venezuela, com parte da população recorrendo a criptomoedas para proteger suas reservas da hiperinflação que vive o País, além de escapar da falta de notas. Esta criação, segundo o presidente, "permitirá avançar para novas formas de financiamento internacional para o desenvolvimento económico e social do país". "A Venezuela vai criar uma moeda, a 'Petro', para progredir em matéria de soberania monetária, para realizar transações financeiras apesar do bloqueio financeiro", afirmou Nicolás Maduro. Maduro ordenou ainda a criação do Observatório Blockchain, como uma "base institucional, política e jurídica", que contribuirá para o lançamento do petro.

Várias agências de rating já declararam que a Venezuela, bem como a companhia petrolífera estatal PDVSA, entrou em default - incumprimento de pagamentos da dívida. "Esta moeda virtual não tem credibilidade", disse o deputado da oposição e economista Angel Alvarado.

Caracas acusa Washington de "perseguição financeira", uma vez que o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump impôs, em finais de agosto, sanções económicas à Venezuela. "Não vejo futuro nisto", acrescentou o colega legislador da oposição, José Guerra. O petro é criado no momento em que a moeda física, o bolívar, desvalorizou muito.

Comentários