"Objectivo é ganhar" — Centeno assume

Ajustar Comente Impressão

Mário Centeno é visto como o favorito na corrida.

"Sou presidente do Eurogrupo até 12 de janeiro e Mário Centeno sê-lo-á a 13", disse esta tarde Jeroen Dijssembloem, falando aos jornalistas, à entrada para a reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, que vai escolher o novo líder. Obviamente, não sei quem vai ganhar. "Fizemos o que tínhamos que fazer dentro do grupo dos países com governos sociais-democratas (socialistas), depois conversando de forma muito aberta com os outros grupos políticos", explicou aos meios de comunicação social.

Eleito para um mandato de dois anos e meio, o presidente do Eurogrupo comanda as reuniões mensais do bloco da moeda única europeia, cujo objetivo principal é coordenar as políticas econômicas nacionais em uma Eurozona que, nos próximos anos, aspira uma integração maior.

Jeoron Dijsselbloem teve esta segunda-feira de manhã um deslize em que admitiu que o substituto no cargo será o ministro das Finanças português, Mário Centeno, um dos quatro candidatos a seu sucessor. E comentou que "qualquer candidato que seja eleito à primeira volta num processo destes tem obviamente uma posição se calhar reforçada".

O Ministro das Finanças português tem como rivais na corrida os homólogos do Luxemburgo, Pierre Gramegna, da Eslováquia, Peter Kazimir e da Letónia, Dana Reizniece-Ozola. Aparentemente, o nome dele estava na minha cabeça. A reunião seguinte do Eurogrupo, agendada para 22 de Janeiro, será então já presidida por um dos quatro ministros que se apresentam hoje a votos.

Comentários