Rivais de Mark Zuckerberg, gêmeos Winklevoss, são os primeiros bilionários no Bitcoin

Ajustar Comente Impressão

Os rivais de Mark Zuckerberg, os irmãos Cameron e Tyler Winklevoss, se tornaram oficialmente os primeiros bilionários do bitcoin ao acumularem um patrimônio líquido de US$ 1 bilhão.

Os gêmeos que, em 2013, conseguiram US$ 65 milhões em um processo contra Zuckeberg, utilizaram US$ 11 milhões na compra da moeda virtual. Em janeiro de 2017, uma bitcoin era vendida por menos de 900 euros.

Os gêmeos Winklevoss são conhecidos por defender o uso de moedas virtuais, investir em companhias que usam a tecnologia blockchain - que é a base do funcionamento do Bitcoin e outras moedas virtuais - e também por ter a maior carteira de Bitcoins ativa no mundo.

Embora alguns observadores reivindiquem o título de "primeiros bilionários de Bitcoin" dado aos gêmeos Winklevoss, eles acreditam que os irmãos merecem créditos por manterem-se fiéis à moeda digital mesmo com sua trajetória volátil. Na época, a criptomeda valia cerca de US$ 120. Foi o acordo dessa batalha legal entre os gêmeos e Zuckerberg que financiou investimento inicial dos Winklevoss em Bitcoins. Cameron Winklevoss disse, durante uma entrevista para o Telegraph em 2016, que ele e seu irmão são investidores de longo prazo e confirmou que eles não venderam nenhum Bitcoin mesmo com o aumento meteórico do preço. Após sofrer grandes quedas de preços na semana passada, no último domingo, a moeda digital atingiu um novo recorde de US$ 11.826,76 por moeda, de acordo com os dados do Markets Insider, superando a alta anterior de cerca de US$ 11.300.

Comentários