Autópsia de Chester aponta que cantor não estava sob influência de drogas

Ajustar Comente Impressão

O resultado da autópsia do cantor Chester Bennington, do Linkin Park, foi divulgado nesta terça-feira (5) pelo site TMZ.

Três testes toxicológicos foram feitos: o primeiro deu positivo para ecstasy, mas os outros dois deram negativo, o que levou os peritos à conclusão de que o americano não estava sob efeito de drogas quando se enforcou, no dia 20 de julho.

Outro pormenor importante dá conta que foram encontrados pedaços de unhas de Bennington por baixo do telemóvel e ainda em cima da mesa. A mulher de Chester, Talinda, disse às autoridades que ele costumava roer as unhas quando estava ansioso.

No relatório, é também apontado pelo médico legista que o vocalista "tinha um historial de pensamentos suicidas". Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.

Descarregue a nossa App gratuita.

Comentários