Brasileiro de 1987: Sport segue como único campeão, decide STF

Ajustar Comente Impressão

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou e negou por unanimidade nesta terça-feira (5) o recurso apresentado pelo Flamengo contra decisão da Justiça, oficializada em 2014, que declara o Sport como único campeão do Campeonato Brasileiro de 1987. De quebra, ainda terá que pagar uma multa de 2% no valor da causa ao Sport.

Em 18 de abril de 2017, a Primeira Turma do STF, da qual Marco Aurélio faz parte, confirmou sua decisão. Ainda votaram a favor dos pernambucanos os ministros Rosa Weber e Alexandre de Moraes. Luís Roberto Barroso, que também é flamenguista, votou pelo compartilhamento do título entre os dois clubes. O ministro Luiz Fux, no primeiro julgamento, se declarou impedido de julgar porque o seu filho advoga para o Flamengo. Além disso, o clube carioca tentou um "algo a mais", uma última tentativa de mudar o teor da última decisão, por meio de um pedido de "efeitos infringentes".

A defesa do clube carioca argumentou que a CBF unificou os títulos de campeonatos nacionais antes de 1971, considerando mais de um time como campeão nacional.

Para a Justiça, o Sport continua sendo o único campeão daquele ano.

Alexandre de Moraes, corintiano, brincou com o fato de seu time ter conquistado recentemente o Brasileirão.

O Sport rebateu, destacando por exemplo que disputou a Taça Libertadores do ano seguinte, e não o Flamengo.

Espero que seja o único (campeão) - respondeu Marco Aurélio. "Houve outro fato, sim: meu time conseguiu voltar à primeira divisão". Meu time ganhou mais um título brasileiro, até porque deixou os outros bem atrás, nem dúvida há. Marco Aurélio, que é torcedor do Flamengo e relator do processo manteve o voto. "O fato superveniente é que meu time ganhou o Campeonato Brasileiro".

Comentários