Rejeição ao Congresso chega a recorde de 60% — Datafolha

Ajustar Comente Impressão

Apenas 5% dos entrevistados aprovam o desempenho das duas casas do Congresso.

Uma pesquisa Datafolha revelou que a rejeição dos brasileiros ao trabalho do Congresso Nacional atingiu um novo recorde.

A aprovação dos 513 deputados e 81 senadores também atingiu o menor índice desde que o instituto começou a fazer o levantamento, em 1993. O levantamento, divulgado na edição desta quarta-feira (6) do jornal Folha de S. Paulo, aponta que o índice de cidadãos que consideram o desempenho dos políticos ótimo ou bom é de 5%.

Os números de agora oscilaram negativamente em relação aos dois últimos levantamentos, realizados em dezembro de 2016 e abril de 2017.

Números tão pessimistas só foram vistos no início da década de 1990, ano da hiperinflação e quando veio à tona o escândalo dos Anões do Orçamento, que expôs um grupo de parlamentares acusados de desviar recursos públicos em benefício próprio. Na época, 56% rejeitavam o trabalho dos parlamentares.

Nos últimos 25 anos, período em que avaliação foi feita, apenas no final do primeiro ano de governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em dezembro de 2003, o Datafolha constatou que a satisfação do eleitorado com o Congresso superou a avaliação negativa. O mesmo pode ser dito para quem desaprova a gestão Temer (69% de desaprovação) e para quem pretende votar no presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ), chegando aos 68% de desaprovação.

A pesquisa Datafolha foi realizada nos dias 29 e 30 de novembro, pouco mais de 1 mês da votação da Câmara dos Deputados que barrou a tramitação da 2ª denúncia contra o presidente da República, Michel Temer. Aqueles com ensino fundamental completo atingem 52% de índice de desaprovação enquanto evangélicos pentecostais chegam a 51%.

Comentários