Taxa de juros vai a 7% e atinge menor índice da história

Ajustar Comente Impressão

O Copom, Comitê de Política Monetária do Banco Central, divulgou na noite dessa quarta-feira (6) o novo índice da taxa básica de juros da economia.

"Para a próxima reunião, caso o cenário básico evolua conforme esperado, e em razão do estágio do ciclo de flexibilização, o Comitê vê, neste momento, como adequada uma nova redução moderada na magnitude de flexibilização monetária" informou o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC. Meirelles também citou a manifestação da Confederação Nacional da Indústria (CNI) de que a trajetória de queda de juros é insustentável se o Congresso não aprovar as reformas estruturais de que a economia brasileira precisa, como a da Previdência.

"Essa visão para a próxima reunião é mais suscetível a mudanças na evolução do cenário e seus riscos que nas reuniões anteriores", acrescentou a autoridade monetária.

Por outro lado, quando o Banco Central reduz os juros, a tendência é baratear o crédito e incentivar a produção e o consumo. O ritmo de corte caiu para 0,75 ponto em outubro e para 0,5 ponto na reunião de hoje.

O mercado espera agora nova redução de 0,25 ponto em fevereiro. Neste ano, até setembro, a expansão é de 0,6%.

O nível mais próximo da taxa básica de juros atual foi registrado entre outubro de 2012 e abril de 2013, quando ela foi mantida em 7,25% ao ano.

Os juros para a linha BB Giro Digital também ficarão mais baixos.

No documento, o BC também atualizou suas projeções para a inflação. Nos 12 meses terminados em outubro, o índice acumula 2,7%, abaixo do piso da meta de inflação, que é de 3%.

Na pesquisa Focus mais recente, feita pelo BC junto a uma centena de economistas, a expectativa é de uma inflação de 3,03 por cento em 2017, 4,02 por cento para o ano que vem e de 4,25 por cento em 2019.

Comentários