Mulher sobrevive após ser jogada na frente de trem em SP

Ajustar Comente Impressão

O homem acusado de empurrar uma mulher nos trilhos de uma estação do metrô de São Paulo, na tarde desta terça-feira (9) disse em depoimento à polícia que agiu por "ordens do diabo", segundo informações do jornal O Globo.

Jussara ficou presa no pequeno vão que fica próximo ao concreto, não sendo atropelada pelo vagão. "Se não fosse Deus eu não estava viva para contar a história".

"Gente, recado triste de um parente meu que trabalha no metrô".

"Só senti que estava viva quando vi meu marido uma hora depois', afirmou". Ela levou 30 pontos em ferimento na perna, um hematoma na cabeça e outras marcas pelo corpo. O homem, identificado como Sebastião José da Silva, de 55 anos, vai responder por tentativa de homicídio. As pessoas em volta estavam assustadas, segundo ela. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia Metropolitana localizada na estação Palmeiras Barra Funda.

Segundo o presidente da empresa, Paulo Menezes Figueiredo, o Metrô está em negociação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a compra de portas de plataformas para as 2 linhas.

O Metrô começou a instalar portas de proteção nas estações nas estações da Linha 3-Vermelha em 2010, mas o projeto foi interrompido por problemas com uma das empresas responsáveis pelo serviço.

Comentários