Há situações dramáticas com portugueses na Venezuela, admite Santos Silva

Ajustar Comente Impressão

O ministro dos Negócios Estrangeiros português inicia hoje uma visita de quatro dias à Venezuela, com a situação da comunidade e empresários portugueses, as relações económicas e o processo político em curso na agenda. "Eu terei a oportunidade de ter uma reunião bilateral com o ministro das Relações Exteriores, para além da comissão mista".

O chanceler português, que chegou a Caracas no sábado, disse que tinha se reunido com representantes da colônia de portugueses no país, que chega a 500 mil pessoas, e constatou "as dificuldades em que vivem (na Venezuela) têm impacto" nessa comunidade.

Arreaza, que não comentou o pedido do colega, destacou a importância da comunidade portuguesa na Venezuela e indicou que existem cerca de 20 projetos mistos em execução.

O Governo português pretende levar "o problema de prazos de pagamento e de fornecimento" de uma empresa portuguesa fornecedora de pernil de porco, depois de o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ter acusado Portugal de sabotar a importação deste alimento típico das festividades natalícias.

Augusto Santos Silva descreveu ainda a visita ao país como "muito importante e positiva", considerando que "era necessária num momento em que se avolumam as dificuldades porque passa a comunidade portuguesa residente na Venezuela".

Santos Silva revelou que esta sexta-feira falou com a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, "para trocar informações" sobre este tema.

O ministro afirmou à Lusa que atualmente "o principal grupo de produtos que exporta para a Venezuela são produtos agroalimentares, mas pode exportar muito mais e há cinco laboratórios portugueses que exportam medicamentos para a Venezuela e que podem exportar muito mais".

Comentários