Fernando Pinto deixará presidência da Tap após 17 anos

Ajustar Comente Impressão

A notócia foi avançada pelo semanário Expresso e confirmada pelo Dinheiro Vivo.

Fernando Pinto defendeu que se pode "resumir este período de 17 anos que tenho na TAP a 15 anos de sobrevivência em crescimento, a dois anos de transição extremamente importantes, e a um ano, o último, de um maravilhoso resultado".

"O engenheiro Fernando Pinto é uma pessoa que merece toda a nossa admiração e reconhecimento, e a nossa homenagem". Através da Parpública, vai ser proposto na assembleia geral (AG) da TAP a recondução dos seis nomes indicados no ano passado.

"A Ponte aérea Lisboa - Porto foi a rota na qual a TAP transportou mais passageiros em 2017, atingindo um total de 726 mil, mais oito por cento que em 2016", adiantou a empresa, em comunicado. A nova equipa de gestão da TAP está fechada e, além da presidência executiva passar para as mãos de Antonoaldo Neves, Neeleman escolheu ainda um outro elemento executivo ligado à Azul.

Quanto ao Estado não deverá ver a sua posição alterada com estas mudanças na administração da companhia aérea nacional.

Quanto a Fernando Pinto, continuará com ligação à TAP nos próximos dois anos, "enquanto assessor", uma informação que o próprio fez chegar aos trabalhadores por email. "Não é assim, nem jamais será, um adeus", lê-se ainda na carta. "Sempre que posso recordo a todos que a TAP só está aqui pelo grande trabalho realizado nos últimos 17 anos". "O meu sentimento hoje é de absoluta realização profissional e pessoal. De missão cumprida. A empresa está no bom caminho e sinto-me plenamente realizado", refere a missiva.

Sobre Antonoaldo Neves, Fernando Pinto desfia pontos importantes do seu currículo. "É um profissional com grande know how no sector, com experiência enquanto consultor da Mckinsey e membro do conselho de administração da empresa brasileira de aeroportos, a convite do Estado brasileiro".

A privatização da empresa, concretizada há dois anos, permitiu iniciar um novo ciclo na TAP. Em comum, Pinto e Neves têm a dupla nacionalidade brasileira e portuguesa e também laços familiares a Portugal - Antonoaldo tem antepassados em Oliveira de Azeméis.

Notoriamente orgulhoso do seu legado, Fernando Pinto não se esquece de incluir vários elogios aos trabalhadores. "Três vezes mais receitas, três vezes mais passageiros, três vezes mais rotas e três vezes mais aviões", descreve ainda. A empresa voa para 85 destinos, em 35 países. É altura de fazer um balanço e ele é muito positivo.Há 17 anos, quando cheguei à TAP, tinha como missão privatizar a empresa. Foi, como todos sabemos, um processo difícil, feito de muitos obstáculos e dificuldades. E enquanto esse objectivo não se concretizava, a empresa tinha de sobreviver. Sobreviver à falta absoluta de capital, às imensas flutuações cambiais, à reestruturação da frota e por fim à chegada das low cost. Todos souberam lidar com as adversidades e continuar a acreditar na empresa. "É o gestor certo para a TAP nesta fase de renovação e de expansão da Companhia para novos mercados internacionais e para consolidar a TAP nos mercados em que já opera". A empresa tem atingido resultados históricos sucessivos e a sua saúde financeira é cada vez mais uma realidade, o que nos permite ter grande confiança no caminho que estamos a seguir.

Comentários