Ice Boy: Menino chinês enfrenta inverno rigoroso para frequentar aulas

Ajustar Comente Impressão

Mas realmente são as mãos congeladas de Fuman, que não tem luvas para se proteger nas longas caminhadas.

Wang Fuman, 8 anos de idade, "Icy Boy" vive com sua irmã e avó a 4,5 quilômetros da escola e enfrenta nesssa época muito frio com a irmã para ir as aulas depois que os pais se mudaram para a cidade onde a temperatura cai até para -9 graus Celsius pela manhã. Na China, Fuman integra o grupo das "crianças abandonadas", aquelas que não vivem com os pais porque eles trabalham em municípios distantes de suas casas.

"Eu quero ser um policial para lutar contra os bandidos", disse Wang ao The Paper, uma publicação com sede em Xangai.

Como é possível ver nas imagens, tiradas pelo seu professor da escola primária, Wang chega todos os dias à escola com neve na cabeça, nas mãos, nas sobrancelhas e na roupa, além de chegar ainda sempre gelado e molhado.

As imagens do menino comoveram o mundo todo.

O reflexo da pobreza evidenciado na imagem, divulgada pelo diretor da unidade, serviu para gerar uma discussão sobre a situação em que vivem as crianças. Outro ainda observou: "a China tem muitas crianças assim".

Querendo uma "sociedade moderadamente próspera", Xi prometeu erradicar a pobreza rural até 2020.

Usuários de redes sociais acusaram a mídia de explorar a imagem da criança, considerando um exagero fazer com ele que apareça em uma série de reportagens.

Mas a grande atenção na Internet teve uma recompensa: a Beijing News anunciou em sua conta no Weibo que desde quarta-feira (11) várias pessoas fizeram doações e contavam com a quantia de 100.000 iuanes (15.400 dólares) para a escola de Wang e outras na área. Com a contribuição, cada aluno receberá individualmente 500 yuans (R$ 248).

Comentários