Justiça libera Gustavo Scarpa para acertar com qualquer clube

Ajustar Comente Impressão

Após o jovem pedir na justiça a rescisão de seu contrato sob o argumento do atraso de três meses de direitos de imagem e seis meses de não recolhimento do FGTS, além de outros vencimentos atrasados, e apontar o Tricolor como "devedor icorrigível", a defesa do clube acusou o meia de "flagrante de má-fé". Segundo a magistrada, conceder a rescisão imediata seria uma atitude temerária, já que seria uma decisão "irreversível, com prejuízos para as partes e também no que diz respeito a terceiros".

"O Fluminense Football Club informa que irá recorrer da decisão liminar obtida pelo atleta Gustavo Scarpa para se desligar unilateralmente". O valor solicitado em ação pelo jogador ao Fluminense, segundo informações, é de R$ 9.383.533,72. No dia 3 de janeiro, o clube efetuou o pagamento de parte das dívidas a Scarpa.

Após pedido da juíza Dalva Macedo, "por conta da urgência da medida pleiteada", a audiência foi antecipada do dia 5 de setembro para 16 de abril.

Desde o fim do ano passado o zagueiro já tinha um acordo com o Timão, mas ele aguardava a resolução de sua rescisão contratual com o Fluminense.

Scarpa ainda não se apresentou ao Fluminense, que já viajou para o Estados Unidos, onde disputa a Florida Cup.

Destaque em 2016 e 2017 pelo Flu, Gustavo Scarpa despertou o interesse de Palmeiras, Corinthians e São Paulo ao fim do Campeonato Brasileiro.

Antes, o Verdão pareava com o São Paulo para acertar com o meia-atacante.

O São Paulo, no momento, é o destino mais provável do jogador de 24 anos. Ele é visto pelo técnico Fábio Carille e sua comissão técnica como o substituto de Pablo, que não acertou a sua permanência no Corinthians e voltou ao Bordeaux, da França.

Comentários