Vestiário do PSG racha após declarações de Thiago Silva, diz jornal

Ajustar Comente Impressão

Esta sexta-feira, nas redes sociais, nomeadamente no Instagram, o futebolista argentino repudiou as declarações do seu capitão. Cavani e Pastore não jogaram porque foram punidos por atraso na volta das férias de fim de ano.

Poucos meses após a polêmica envolvendo Neymar e Cavani, o PSG é palco de nova confusão nos bastidores, agora entre Thiago Silva e Pastore. "É um momento importante para o clube, devemos pensar antes de fazer gestos como esse, que não é bom para todos". Após o jogo pela Copa da Liga, em entrevista ao "L'Équipe", o capitão Thiago Silva comparou a situação dos dois jogadores e espera que o atacante uruguaio volte o quanto antes para a equipe. "Depois veremos o que acontece", referiu o técnico ainda antes da chegada dos jogadores, Cavani no sábado, dia 06, e Pastore na segunda-feira. No final eles não encontraram um acordo.

Thiago Silva ainda fez questão de separar a crítica feita a ambos, dando a entender que o caso do meia argentino seria por conta de uma possível transferência na próxima janela. Depois da polêmica sobre quem seria o batedor de pênaltis do clube, entre o brasileiro e o uruguaio Cavani, uma nova polêmica cerca o camisa 10 do time francês. Não é o meu estilo.

O meia Javier Pastore demorou para se reapresentar ao Paris Saint-Germain após a pausa de fim de ano e gerou boatos sobre uma possível saída do clube. Ele não estava sabendo do problema que eu tive e me fez atrasar. "Acho que Pastore avisou ao clube que queria sair".

Para o jornal francês, a culpa deste descontrole dentro do vestiário do PSG é do treinador Unai Emery e do diretor esportivo do clube, o português Antero Henrique, que não possuem uma estratégia para minimizar as polêmicas.

Comentários