Procurador diz não ver motivo para pedir prisão cautelar de Lula

Ajustar Comente Impressão

O procurador regional da República Mauricio Gotardo Gerum não vê motivos para pedir a prisão cautelar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), sediado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, julgará o líder petista no dia 24 de janeiro, após ter sido condenado em primeiro grau a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Para Gerum, ' em caso de condenação dos réus da referida ação penal, qualquer medida relativa ao cumprimento de pena seguirá o normal andamento da execução penal, não havendo razões para precipitá-la'.

No dia 26, Lula embarcará para Adis Abeba, capital da Etiópia, para participar de um evento sobre combate à fome, organizado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), entidade que tem sede em Roma e é chefiada pelo brasileiro José Graziano.

Os recursos de Lula e de outros seis réus do processo do triplex serão julgados pelo desembargadores da 8.ª Turma da Corte federal - João Pedro Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen. Nele, o procurador pretende apresentar provas deque Lula cometeu mais três delitos de corrupção passiva.

Gerum ainda vai sustentar que há "nexo causal" entre a assinatura dos contratos e o recebimento de propina por Lula.

Comentários