Após dois anos de queda, varejo fecha 2017 no lucro

Ajustar Comente Impressão

O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em novembro ante outubro, de uma alta de 0,7% para uma elevação de 1,0%.

Apesar do resultado positivo no ano, o nível de vendas ainda está abaixo do que era antes da crise.

Com crescimento de 9,5% frente a 2016, o setor de móveis e eletrodomésticos foi o que mais contribuiu no balanço anual.

- Mas [o índice] ainda está longe de recuperar a perda de 10,2% acumulada nos últimos dois anos - apontou a gerente de pesquisa do IBGE, Isabella Nunes, no documento. "Com uma dinâmica de vendas associada à maior disponibilidade de crédito, o setor se recuperou após três anos em queda", disse em nota.

"O bom resultado nessa categoria foi influenciado principalmente pela redução sistemática dos preços e a recomposição da massa de rendimentos", explica. Em contrapartida, artigos domésticos e de uso pessoal, livros, jornais e papelaria foram perdendo força de venda ao longo de 2017.

Apesar do avanço, Isabella afirma que ainda é cedo para falar em recuperação total.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 4% no ano de 2017, acima da mediana, de 3,90%.

Na comparação mensal, dezembro recuou 0,8%.

Comentários