Salma Hayek acusa Harvey Weinstein de ter ameaçado partir as suas rótulas

Ajustar Comente Impressão

Salma Hayek partilhou recentemente uma história com Oprah Winfrey que ainda não tinha contado ao mundo: Harvey Weinstein ameaçou partir-lhe as rótulas porque a atriz recusou os seus avanços sexuais.

No artigo, Hayek diz que teve saber dizer "não" e que essa era provavelmente a "palavra que Weinstein mais odiava ouvir". "Vou matar-te, não penses que não consigo", terá dito o realizador, segundo Hayek.

A actriz de 51 anos sentiu-se culpada por não ter denunciado mais cedo tudo aquilo que aconteceu com Weinstein. "O [New York Times] contactou-me para ser parte da primeira história e, pela altura desse contacto, já havia muita agitação".

"Comecei a chorar quando mo pediram, e acabei por não o fazer". "Senti-me envergonhada por não dizer nada. Mas achava que a minha dor era tão pequena quando comparada com todas as outras histórias". Ainda assim, comenta que considera ter lidado bem com a situação, na altura. "Talvez seja por isso que ele não me violou", acrescentou a atriz, à conversa com a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey.

A atriz havia já admitido que Weinstein a tinha assediado sexualmente durante as filmagens de 'Frida', pressionado-a a fazer uma cena de sexo gratuito, tendo ameaçado matá-la. Mas, até agora, Harvey Weinstein negou todas as acusações de que é alvo, acrescenta o mesmo jornal.

Actualmente na oitava temporada, o podcast de Oprah já teve convidados como o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden e Malala Yousafzai.

Comentários