Atleta japonês é o primeiro a acusar "doping" nas Olimpíadas de Inverno

Ajustar Comente Impressão

O patinador de velocidade japonês Kei Saito é o primeiro caso oficial de doping nos Jogos Olímpicos de Inverno, que estão a decorrer em PyeongChang, Coreia do Sul, revelou esta terça-feira o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS).

"Kei Sato acusou positivo para acetalozamida, um produto diurético considerado mascarante, numa análise fora de competição", indicou o TAS, acrescentado que o atleta está "provisoriamente suspenso" e deixa a aldeia olímpica.

A CAS informou também que seus juízes vão cuidar do julgamento dos casos de doping dos Jogos Olímpicos de Inverno e vão ainda aplicar uma sentença final a Saito após o término da competição, que será no próximo dia 25 de fevereiro.

Kei Saito foi suspenso e deverá ser substituído, esta terça-feira, na prova de estafetas dos 5.000 metros masculinos.

O Comitê Olímpico Internacional (COI), assim que foi notificado, repassou a informação à Federação Internacional de Patinação.

- Nenhum resultado de PyeongChang 2018 foi afetado.

Em um pronunciamento, o chefe de delegação japonesa, Yasuo Saito, comentou o caso do patinador.

- Saito não teve ideia de porque as amostras foram positivas e ele não conseguiu entender de onde tudo isso veio. Eu preciso falar que surpresa foi a primeira reação que ele teve. "Não tenho motivos para utilizar essa substância e não posso pensar em nenhuma outra ocasião que eu a tenha utilizado acidentalmente", disse o atleta através do documento.

Logo após a entrevista do chefe de delegação, uma declaração escrita pelo patinador foi lida na coletiva de imprensa.

- Eu estou bastante surpreso por esse teste. Eu estive presente em um seminário anti-doping patrocinado pela Federação Nacional do Japão. "Eu segui as instruções dadas por especialistas", afirmou.

Comentários