Carlos Abreu Amorim não está disponível para integrar direcção do PSD

Ajustar Comente Impressão

A chegada de Rio não está, para já, a unir as hostes parlamentares.

Rui Rio provavelmente não contava com Carlos Abreu Amorim para fazer parte da direção que idealizou para a bancada parlamentar do PSD. Foi apoiante de Pedro Santana Lopes nas eleições para a presidência do partido.

Carlos Abreu Amorim alega primeiramente razões pessoais, revela algum cansaço e também refere que não se revê na estratégia do novo presidente do PSD, Rui Rio. Recusa, no entanto, a ideia de que a sua demissão seja mais um sinal da desagregação da bancada, argumentando que se trata de uma "posição pessoal". É o terceiro vice-presidente - depois de Sérgio Azevedo e Amadeu Albergaria - a colocar o lugar à disposição.

"O doutor Rui Rio transmitiu-me o desejo de trabalhar com uma direção de grupo parlamentar diferente, cabe ao presidente do grupo parlamentar interpretar os sinais e a decisão é minha de devolver a palavra aos colegas deputados para eleger nova direção", disse, sublinhando que esta é uma decisão do próprio: "A decisão é minha e eu é que tenho de perceber se da parte de Rui Rio há ou não há confiança política e vontade de continuar a trabalhar com a atual direção parlamentar".

Os primeiros nomes a serem lançados como os homens fortes de Rio no parlamento foram os de António Leitão Amaro e o de Luís Marques Guedes, mas nenhum dos dois deputados está disponível para suceder a Hugo Soares. Carlos Abreu Amorim considera que se trata de um erro "desnecessário" e de uma "perda de tempo", já que, garante, à volta de Hugo Soares existe "um amplo consenso positivo, como nenhum outro deputado terá". Entre os nomes mais falados para a liderança da bancada estão os dos deputados Adão silva, Fernando Negrão ou Luís Campos Ferreira.

As eleições estão marcadas para a próxima quinta-feira, dia 22 de fevereiro.

Carlos Abreu Amorim foi deputado pela primeira vez em 2011, quando Passos Coelho chegou a primeiro-ministro e desde essa altura que é vice-presidente do grupo parlamentar.

Comentários