Carnaval: Escolas do RJ protestam contra Temer e Crivella

Ajustar Comente Impressão

Com o enredo "Com dinheiro ou seu dinheiro, eu brinco", a agremiação da Zona Norte faz uma crítica ao corte de recursos repassados às escolas de samba pela prefeitura. A Mangueira também expôs a placa "Prefeito, pecado é não brincar o carnaval", pelo fato de o político, aparentemente, não apreciar essa época do ano por motivos religiosos. No desfile da Mangueira, Crivella foi retratado como Judas. É formada por 15 bailarinos que ensaiaram por quatro meses. E a apresentação da Beija-Flor, embora impactante, não obteve êxito ao carnavalizar o tema, recorrendo ao teatro - um expediente muito usado cerca de uma década atrás, mas que foi abandonado, possivelmente pela falta de confete e serpentina em sua essência - para mostrar problemas do país que já apareceram muito nas escolas (como São Clemente e Caprichosos de Pilares, duas das pioneiras nos temas políticos, lá pelos anos 1980), mas sempre no formato de desfile de escola de samba.

- É um enredo que já caiu nas graças do público antes mesmo do desfile. Infelizmente acho que o prefeito não entendeu o sentido de carnaval.

Outro carro exibia uma representação do Cristo Redentor com um cartaz em que se lia "O prefeito não sabe o que faz". A Verde e Rosa trouxe de volta um carnaval popular do tempo em que o apoio financeiro não era condição principal para a alegria do folião - nem na rua, nem nos desfiles, desde o seu início, nos anos 30 na Praça Onze, e depois na avenida Presidente Vargas (no Centro), até chegar à Marquês de Sapucaí, nos anos 80. Ironicamente, a alegoria foi batizada de "Somos a voz do povo".

- Eu espero que o povo venha com a Mangueira. Das três integrantes do velho clube das Quatro Grandes (ao lado do Império Serrano, que briga para não cair), apenas a suntuosa alvirrubra da Tijuca e suas "Mães do ventre do mundo" apresentou um carnaval tradicional.

Mais além das fantasias e da sensualidade exacerbada, o "maior espetáculo da Terra" encarnou também o protesto de uma população cansada da violência e corrupção. E aqui, pelo contrário, ele tirou e isso doeu muito no bolso.

É a nossa resposta para este prefeito que corta o nosso orçamento e tenta acabar com a nossa felicidade, explicou à AFP Helton Dias, um dos componentes da Mangueira.

Comentários