Data limite para reforma da Previdência é fevereiro, diz Marun

Ajustar Comente Impressão

Depois de se reunir com o presidente Michel Temer nesta quarta-feira (14), o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB-MS), disse que fevereiro é a "data limite" para votação da reforma da Previdência.

Em mais uma de suas investidas para garantir o esforço de Estados e municípios na aprovação da reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) se reunirá com secretários estaduais de Fazenda nesta quinta-feira (15).

O encontro acontecerá na Comissão Mista de Orçamento (CMO) da Casa, às 14h, segundo informou ao Valor a assessoria de comunicação da presidência da Câmara. Até então, o parlamentar fluminense resistia em fazer esse anúncio e se mostrava muito incomodado com o discurso do governo de transferir para os deputados a culpa pela frustração com a reforma.

Ele lembrou que o texto-base da proposta já está colocado. O texto que deve ser discutido em plenário foi apresentado pelo relator, o deputado Arthur Maia (PPS-BA), na semana passada.

Segundo interlocutores, Rodrigo Maia decidiu que cumprirá seu "papel institucional" de presidente da Câmara ao anunciar que não pautará a votação da reforma antes das eleições. Ele também critica o limite para acumulação de benefícios (pensão e aposentadoria) de dois salários mínimos. Apenas em 2017, o rombo registrou aumento de R$ 41,9 bilhões.

Na madrugada de terça-feira, durante desfile na Marquês de Sapucaí, o presidente da Câmara disse que ainda é possível conseguir os votos necessários desde que haja engajamento de prefeitos e governadores que precisam da mudança de regras em razão da crise fiscal.

Para Maia, só com a mudança nas regras previdenciárias cidades e Estados voltarão a ter fôlego para investir, gerar empregos e crescer nos próximos anos. É importante que eles agreguem votos, e a gente precisa que eles ajudem - disse. (Geralda Doca, com agências internacionais).

Comentários