Mercado reduz projeção de inflação para 2018

Ajustar Comente Impressão

Na quarta-feira (7), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reduziu a taxa básica de juros, a Selic, para o menor nível já registrado na história, com a marca de 6,75% ao ano.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, na última semana, que o IPCA de janeiro subiu 0,29%.

Entre os analistas que mais acertam as projeções, os chamados Top 5, a projeção sofreu uma elevação que a fez se aproximar dos cálculos dos demais economistas, no entanto, saindo de 3,78% para 3,86%.

No caso de 2019, a projeção para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,40 para R$ 3,39, ante R$ 3,40 de quatro semanas atrás. Já a expectativa para o câmbio médio foi de R$ 3,35 para R$ 3,33 de uma semana para outra, ante R$ 3,34 de quatro semanas atrás.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para fevereiro de 2018 foi de 0,44% para 0,42%. No caso de março, a projeção passou de 0,32% para 0,31%, ante 0,32% de quatro semanas antes.

No Focus desta quarta (14), a projeção para a produção industrial de 2018 passou de avanço de 3,35% para alta de 3,50%.

O mercado financeiro manteve suas projeções para o produto interno bruto (PIB) em 2018 e 2019. Há um mês, estava no mesmo patamar. Para o próximo ano, o BC registrou que a expectativa para a inflação se manteve em 4,25%, que é o valor do centro da meta de 2019.

O Banco Central atualizou suas projeções para o PIB no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) divulgado em dezembro. A expectativa de alta para o PIB este ano seguiu em 2,70% no Relatório de Mercado Focus. Também não houve mudanças nas perspectivas para o fim de 2019, com a taxa básica de juros a 8 por cento.

Comentários