Parlamento leva caso Puigdemont ao Tribunal Europeu — Catalunha

Ajustar Comente Impressão

Os partidos que apoiam a candidatura do líder independentista, fugido na Bélgica, à liderança do governo regional (Generalitat) estão a tentar encontrar uma solução para o actual impasse institucional que poderia passar pela concessão de uma "presidência simbólica" a Puigdemont e outra efectiva a ser exercida em Barcelona por outra pessoa. Se o JPC, que tinha Carles Puigdemont no topo da lista eleitoral, parece querer levar até às últimas consequências a investidura do seu candidato; a ERC hesita cada vez mais perante os obstáculos políticos e jurídicos. Desde então, o Parlamento tem vindo a estudar várias possibilidades de rodear o problema.

O deputado do JPC garantiu ainda que Roger Torrent não o informou de que ia apresentar aquele recurso em Estrasburgo. "Não falámos disso em momento algum", garantiu na entrevista à TV3, esta quarta-feira de manhã.

O presidente do parlamento da Catalunha, Roger Torrent, vai pedir ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos que defenda o direito de Carlos Puigdemont a ser investido como presidente do governo autónono. "Não é sério e não é justo", acrescentou.

Comentários