Turismo em Portugal tem alta de 12% e bate novo recorde

Ajustar Comente Impressão

Os números, que constituem novos recordes para o turismo nacional e foram divulgados esta quarta-feira, 14 de fevereiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), significam no entanto um abrandamento na trajetória de crescimento anual, já que em 2016 o número de hóspedes tinha aumentado 9,2% e o de dormidas 9,6%. Foi o mercado externo que mais contribuiu para estes acréscimos, representando 72,4% das dormidas totais no ano passado.

Nas dormidas, a região algarvia, com 19 milhões, consolidou uma quota de mercado, a nível nacional, de 33,1%.

De acordo com o INE, em 2017 verificou-se um acréscimo de 3,9 milhões de dormidas em toda a hotelaria nacional, sendo que 29% situou-se na região de Lisboa, que adicionou 1,1 milhões de dormidas quando comparado com o ano anterior, o Algarve mais 963 mil (+24,4%), e o Centro com mais 716,8 mil, correspondendo a uma subida de 18,2%. As dormidas de turistas estrangeiros cresceram 8,6% em relação a 2016, um ritmo que é mais de duas vezes superior ao registado pelo mercado interno no mesmo intervalo (4,1%).

Os proveitos da hotelaria tiveram em dezembro um aumento expressivo 18,1% (16,4% em novembro) e em valor absoluto ascenderam a 160,2 milhões de euros. Os turistas portugueses representam apenas 15,9 milhões dos turistas nacionais. Irlanda (+6,5%), Holanda (+10,2%) e França (+39,7%) fecham o top-5. Desidério Silva salienta ainda o "crescimento sustentado do setor fora da época alta do verão, fruto da aposta diversificada no turismo de natureza, na cultura e na gastronomia e vinhos, além dos campos de golfe internacionalmente premiados e do principal atrativo turístico da região, as melhores praias da Europa".

Comentários