Governo estadual volta atrás e UEL pode iniciar ano letivo amanhã

Ajustar Comente Impressão

Após duas universidades estaduais (UEL e Unicentro) anunciarem a suspensão do calendário acadêmico, que começaria nesta segunda-feira (19), devido a um decreto emitido pelo governo do estado, que não teria autorizado a carga horária necessária para a contratação de professores temporários, o governo anunciou que autorizou a contratação dos profissionais.

O secretário estadual de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia (Seti), José Carlos Gomes, disse que o decreto revogado já previa a possibilidade de aumentar a carga horária de temporários, mas o recálculo demoraria alguns dias e prejudicaria as universidades.

A Reitoria da UEL, desde agosto de 2017, tem realizado um trabalho incessante visando à autorização do Governo do Paraná para as contratações docentes com o objetivo de evitar maiores prejuízos para as atividades acadêmicas e, consequentemente, para os estudantes. O documento foi encaminhado em seguida e, segundo a reitora, atende parcialmente as necessidades.

Art. 1º Revogar, ad referendum do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, CEPE, a partir de 20 de março de 2018, a Resolução nº 3-CEPE/UNICENTRO, de 16 de março de 2018, que suspendeu o Calendário Universitário da UNICENTRO para o ano de 2018, no que se refere às aulas nos cursos de graduação.

O decreto desta manhã garante este número mínimo, mas, até julho, os contratos de outras 4,8 mil horas aula terminariam.

A UEL deve contratar até o meio do ano, cerca de 120 professores temporários. "Mas eu argumentei ao governador [Beto Richa, PSDB] que não daria tempo de rever estes números sem ter dificuldades nio início do semestre", afirma. As primeiras 45 contratações serão encaminhadas nesta semana.

Art. 2º As Chefias de Departamentos Pedagógicos e Direções de Setor devem tomar as medidas necessárias para assegurar a plena integralização das disciplinas no transcorrer do ano letivo.

Comentários