Tribunal em Moscou proíbe Telegram na Rússia

Ajustar Comente Impressão

O Telegram tinha até 4 de abril para entregar as chaves de criptografia usadas para embaralhar as mensagens, mas o prazo foi perdido com o Telegram alegando que o serviço foi construído de forma a impedir a própria empresa de obter as chaves. O Supremo russo recusou em março um recurso da Telegram contra a obrigação de entregar os dados. No entanto, ela decidiu continuar mantendo a segurança e privacidade de seus usuários e não entregou o material solicitado pelas autoridades.

A decisão foi tomada uma semana depois que o órgão regulador de comunicações na Rússia, Roskomnadzor, abriu processo para limitar o acesso ao Telegram depois das recusas reiteradas da companhia em dar os serviços de segurança do país acesso às mensagens secretas dos usuários.

A legislação russa obriga os fornecedores de serviços de mensagens a armazenar as mensagens dos utilizadores e a divulgar, a pedido das autoridades, os dados que permitem descodificar as comunicações.

O reclamante era o FSB, serviço federal de investigação do governo, que queria acesso para ler as mensagens, supostamente como uma forma de promover investigações anti-terrorismo.

Vale lembrar que, recentemente, o Telegram também divulgou dados para mostrar que sua plataforma é utilizada mensalmente por 200 milhões de pessoas em todo o mundo. O advogado do serviço de mensagens Pavel Chikov, porém, afirma que a requisição das autoridades não tem fundamento.

Comentários