Deputados das ilhas recebem duas vezes por viagens que não pagam

Ajustar Comente Impressão

Pelo menos sete deputados residentes nas ilhas dos Açores e da Madeira pedem reembolso de viagens que são custeadas pela Assembleia da República. Entre os deputados que recebem estas ajudas de custo está Carlos César, líder da bancada parlamentar do Partido Socialista.

Nos primeiros três meses de 2018, os gastos da Assembleia da República com as despesas de transporte dos 12 deputados dos Açores e Madeira superaram os 77.500 euros, de acordo com o gabinete do secretário-geral do Parlamento.

Saliente-se que os deputados, tendo em consideração a natureza ocupacional das suas funções, viajam em regra com tarifas flexíveis e com bagagem de porão, sendo que, muitas vezes, o valor, se não fossem residentes, seria superior à referida média dos 500 euros. Essa compensação é devida mesmo que os deputados não viagem e é paga sem exigência de comprovativos, a não ser que os beneficiários faltem a trabalhos parlamentares. São eles Carlos César, Lara Martinho, João Azevedo Castro, Luís Vilhena e Carlos Pereira do PS, Paulo Neves do PSD e José Paulino de Ascensão do BE.

Nesse sentido, a publicação adianta que investigou, nas últimas semanas, esta acumulação e quem a ela recorre, tendo confirmado que sete dos deputados beneficiam desta acumulação. Uma deputada do PSD também insular, Rubina Berardo, disse não pedir reembolso por "opção pessoal". Outros quatro deputados sociais-democratas não responderam ao jornal.

Há deputados madeirenses a receber reembolso das viagens que não pagam. Martinho relembra que viagens inter-ilhas são pagas pelos deputados e não pela Assembleia.

Comentários