Moscovo insinua que EUA querem "apagar vestígios" com ataques — Síria

Ajustar Comente Impressão

"Ótima ideia!", escreveu a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, em publicação no Facebook comentando a sugestão de Trump.

O Presidente americano Donald Trump advertiu a Rússia que as tropas do seu país estão prontas para atacar a Síria e lamentou que Moscovo seja aliado de um "animal".

"A Rússia prometeu destruir todos e quaisquer mísseis disparados contra a Síria". Prepare-se, Rússia, porque eles estão chegando, agradáveis, novos e "inteligentes"!

"A Rússia é favorável a uma investigação objetiva e imparcial antes de emitir qualquer julgamento", explicou o porta-voz.

Os Estados Unidos, Reino Unido e França lançaram mísseis contra diversos alvos na Síria em resposta ao suposto ataque químico no subúrbio de Damasco, Douma, na Ghouta Oriental. "Estamos convencidos de que a utilização de armas químicas em Duma foi inventada e não pode ser utilizada como pretexto para recorrer à força", afirmou o Kremlin.

"Operando apenas nas fileiras terrorista, os Capacetes Brancos encenaram diante das câmeras um ataque químico contra os civis da cidade de Duma", afirmou o general Viktor Poznikhir em coletiva de imprensa. Para o professor, a China têm adotado muitas das vezes posturas convergentes com as da Rússia, enquanto os demais países criticam e defendem a saída de Bashar al-Assad do governo Sírio.

A organização, que recebeu um convite oficial do regime sírio para investigar no terreno, "pediu à República Árabe Síria para desencadear os procedimentos necessários para a deslocação", anunciou a OPAQ em comunicado.

Comentários