Papa pede resposta global à crise na Síria e que justiça prevaleça

Ajustar Comente Impressão

O papa Francisco falava após a homilia Regina Coeli celebrada na praça de S. Pedro, no Vaticano.

Depois da oração, o Papa lamentou que "apesar dos instrumentos disponíveis à comunidade internacionacional, seja difícil chegar a um acordo sobre uma ação comum a favor da paz na Síria e de outras regiões do mundo".

O papa afirmou que reza "incessantemente pela paz", convidou todas as pessoas de boa vontade; a fazê-lo e fez um apelo "a todos os responsáveis políticos para que prevaleça a justiça e a paz".

Na madrugada de sábado, os EUA, França e Reino Unidos, bombardearam a Síria, como forma de resposta ao alegado ataque químico na cidade de Douma, em Ghouta Oriental.

A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou o ataque como um ato de agressão contra um Estado soberano, tendo em vista que os supostos ataques químicos por parte das forças da Síria não foram confirmados por peritos militares russos e moradores locais. Rússia, China, dois membros permanentes do Conselho, e a Bolívia, membro não permanente, votaram pelo texto, oito países votaram contra e quatro abstiveram-se.

"Se eles fizerem isso [declarar as armas químicas que não foram destruídas], nós ajudaremos a voltar ao processo de negociação em Genebra", disse ela.

Comentários